Um dos motivos para não atingires os teus objetivos

06.11

A subida ao Pico… Q que aconteceu que não me levou ao meu objetivo final.

Estávamos em maio de 2013. Tinha decidido subir o Pico na maravilhosa ilha do Pico nos Açores.

Com 448 Km2 de superfície, a Ilha do Pico é a segunda maior do arquipélago dos Açores e aquela onde se situa a mais alta montanha de Portugal, precisamente o Pico, que lhe deu o nome, com 2.351 m de altitude.

O imenso cone vulcânico da Montanha do Pico, o terceiro maior vulcão do Atlântico, impõe-se na paisagem da ilha. Na sua cratera principal aloja-se um cone de lava designado de Piquinho, no topo do qual fumarolas permanentes encarregam-se de lembrar a sua natureza vulcânica. 

Sempre gostei do contacto com a natureza e dos desafios que ela nos coloca muitas vezes.

Depois de cerca de 4 horas sempre a subir chegamos finalmente ao topo da montanha. Tinha alcançado o topo do Pico.

Olhamos ao nosso redor e vimos que afinal ainda não tínhamos terminado a nossa subida. O Piquinho exibia-se à nossa frente e podíamos observar várias pessoas a subir e a descer o mesmo por um trilho bem definido e claro.

Seria por esse mesmo trilho que iriamos iniciar a nossa subida.

E assim foi…. Iniciamos a subida do Piquinho mas… Uma senhora disse-nos que o melhor caminho não era aquele. Se subíssemos por um caminho 100 metros mais ao lado seria mais fácil. E bastou esta indicação para abandonarmos o trilho onde estávamos (e cerca de 50 pessoas mais) para irmos para um trilho que na verdade não existia.

Começamos a tentativa de subida num terreno de terra solta, pedras soltas… A cada passo em frente, dois para trás… O que eu sei é que ao fim de algum tempo estava esgotado, cansado e frustrado. “Que se lixe o Piquinho…”  “Já não quero subir Piquinho nenhum…”.

E dessa forma não subi ao Piquinho…

Moral da história:

  1. Eu sabia qual o meu objetivo: Subir ao Piquinho
  2. Eu sabia qual aparentemente seria o melhor trilho (caminho) para o meu objetivo
  3. Deixei que outra pessoa me retirasse do meu caminho
  4. Não atingi o meu objetivo porque permiti que outra pessoa me dissesse qual seria o melhor caminho para mim.

Já te disse algumas vezes e volto a repetir. 

Tu és o especialista da tua vida. Não existe ninguém que conheça melhor a tua vida. E por esse motivo tu és a pessoa com mais competências para escolheres os teus caminhos. Quando muitas vezes deixas que te indiquem caminhos alternativos acabas por não atingir os teus objetivos.

Fica a promessa de voltar à ilha do Pico e subir o Piquinho pelo caminho que eu entender ser o mais adequado para mim.

Força no teu caminho… Ou ainda melhor… Um bom caminho!

Artigos relacionados