2. Quando espelhas o universo | Eclipse do Amor

No meio de mais de 80 pessoas de diferentes países e cultura, a pessoa que estava próxima naquele momento seria a minha companheira para o resto da minha vida. Podemos chamar destino, sorte, o que quisermos. Eu acredito profundamente que atraímos tudo aquilo que desejamos quando o fazemos com todo o nosso ser, de forma equilibrada, clara e limpa. Quando a nossa vibração energética é elevada, com uma vibração de amor, os nossos desejos tornam-se realidade.

O momento chave de toda esta história, foi o momento em que realizamos um exercício em que deveríamos replicar os movimentos de uma outra pessoa.

No meio de mais de 80 pessoas de diferentes países e cultura, a pessoa que estava próxima naquele momento seria a minha companheira para o resto da minha vida. Podemos chamar destino, sorte, o que quisermos. Eu acredito profundamente que atraímos tudo aquilo que desejamos quando o fazemos com todo o nosso ser, de forma equilibrada, clara e limpa. Quando a nossa vibração energética é elevada, com uma vibração de amor, os nossos desejos tornam-se realidade.

Sempre sonhei viver com uma companheira com os mesmos propósitos de vida. Uma pessoa que de forma natural e sincera queira mudar o mundo, através da vibração do amor, impactando de forma positiva a vida de todos os que tocamos.

A espiritualidade é algo que está mais presente em mim desde 2011, quando perdi a minha companheira dessa altura vítima de leucemia. Nessa altura, comecei um processo de desenvolvimento interno, um processo de procura de mim próprio. Eu processo de autoconhecimento que desenvolveu o interesse em muitas coisas que até esse momento achava que não faziam sentido, ou desconhecia.

Sempre tive um claro propósito de viver ao lado de uma pessoa com um nível de espiritualidade elevada. Uma pessoa que me acompanhasse ao longo da vida e que impactasse de forma positiva no meu desenvolvimento continuo como ser humano e como ser espiritual. Uma pessoa com quem pudesse viver uma vida de amor, verdade, romance, companheirismo e desenvolvimento contínuo.

O exercício!

Começamos o exercício de olhos abertos, replicando os movimentos da outra pessoa. Na verdade, acho que até esse instante, nunca tinha visto a pessoa que se encontrava à minha frente naquele momento. Deixei fluir… Desliguei o lado racional para me entregar ao exercício.

Quando fomos instruídos para fechar os olhos e continuar a replicar os movimentos da outra pessoa, algo de extraordinário aconteceu. Fui inundado por uma vibração elevada. Apesar de ter os meus olhos fechados uma luz branca, intensa, brilhava e envolvia todo o meu ser. Como se todo o universo se tivesse unido naquele momento e nada mais existisse. Um momento de calma, bem-estar, equilíbrio. e de energia pura e universal surgiu naquele momento.

Quando terminamos o exercício olhei para a pessoa que estava à minha frente e perguntei a mim próprio se ela tinha sentido o mesmo. Foi uma experiência que extravasou tudo aquilo que alguma vez senti. Uma experiência que fica gravada na nossa mente, no nosso corpo e na nossa alma.

Cheguei a casa nesse dia com uma sensação de felicidade desconhecida até esse momento. A minha vida tinha mudado e eu ainda não imagina como…

 

Nota autor

O exercício realizado chama-se rapport e está suportado nos denominados neurónios espelho. Estes neurónios, estão distribuídos por partes essenciais do cérebro, como o córtex pré motor e os centros para linguagem, empatia e dor. Quando observamos alguém realizar uma ação, esses neurônios disparam, permitindo-nos replicar esses movimentos de forma inconsciente. É por esse motivo que lhes damos o nome de espelho.
Os neurónios espelho foram descobertos pela equipa do neurocientista Giacomo Rizzolatti, da Universidade de Parma, em Itália.

Artigos relacionados