primavera-2020-covid19-nuno-cortez

Estávamos em março de 2020.
As ruas estavam vazias, as lojas estavam fechadas, as pessoas não conseguiam sair…

Mas a Primavera não sabia, e as flores começaram a florescer, o sol brilhava, os pássaros cantavam, as andorinhas chegavam logo, o céu estava azul, a manhã chegou cedo.

Estávamos em março de 2020.
Os jovens tinham de estudar online, e encontrar outras atividades em casa. As pessoas trabalhavam de casa. As pessoas tinham muito mais tempo para si próprias. Já não podiam ir ao shopping ou à esplanada.

Mas a Primavera não sabia, a hora de ir para o jardim estava a chegar, e a relva estava a ficar verde.

Estávamos em março de 2020.
As pessoas tinham sido colocadas em isolamento para proteger os outros seres humanos. Sem mais reuniões, sem mais celebrações familiares. O medo tornou-se real e os dias eram os sempre mesmos.

Mas a Primavera não sabia. As macieiras, cerejeiras e outras floresceram, as folhas cresceram
As pessoas começaram a ler, brincar como uma família, cantaram na varanda convidando os vizinhos a fazer o mesmo, aprenderam um novo idioma, mostraram-se solidárias e concentraram-se noutros valores.

As pessoas compreenderam a importância da saúde, do sofrimento deste mundo que tinha parado, da economia que tinha entrado em colapso.

Mas a Primavera não sabia. As flores tinham dado lugar à fruta, os pássaros tinham feito seus ninhos, as andorinhas tinham chegado.

Então chegou o dia da libertação! As pessoas souberam disso pela televisão. O vírus desapareceu, as pessoas saíram à rua, cantando, chorando, sem máscaras nem luvas.

E foi aí que chegou o Verão, porque a Primavera não sabia. Continuou tudo a existir! Apesar do vírus e do medo. Porque a Primavera não sabia e ensinou às pessoas o poder da vida.

Vai ficar tudo bem!

Vamos espalhar AMOR?

Artigos relacionados